fbpx
mudanças no ambiente de trabalho mudanças no ambiente de trabalho

Quais as mudanças no ambiente de trabalho decorrentes da pandemia?

6 minutos para ler

Embora ainda estejamos atravessando um cenário delicado, em meio a tantas restrições e mudanças vivenciadas até aqui, começam a surgir alguns poucos dados mais positivos, que certamente representam um luz no fim do túnel. Consequentemente, isso nos leva a pensar no que nos espera mais à frente, especialmente em se tratando do setor varejista — especificamente do setor de mobiliário.

Muitas foram as mudanças no ambiente de trabalho nesses últimos dois anos e elas atingiram uma parcela bastante expressiva das empresas e um dos maiores exemplos é, sem dúvida alguma, a implementação do regime home office, que surgiu como uma alternativa para evitar aglomerações. Contudo, certamente, você já ouviu ou leu por aí que essa modalidade veio para ficar e muitas corporações estão adotando esse regime de maneira definitiva.

Sendo assim, diante de um futuro ainda tão cercado por dúvidas e incertezas, o que, inicialmente, podemos destacar como mudanças que permanecerão em alta e de quais formas elas impactarão a revenda de móveis? É sobre isso que falaremos neste post. Continue a leitura!

Aumento do número de compras feitas no ambiente virtual

Se antes, a transformação digital ainda não havia saído da “teoria” para algumas empresas, com o cenário pandêmico enfrentado pela população, ela se tornou efetivamente uma prática nos negócios de todos os segmentos. Além disso, com o lockdown pelo qual muitas regiões passaram, diante da impossibilidade de manter as portas abertas, o comércio varejista encontrou nas vendas online uma alternativa para preservar o estabelecimento funcionando.

De acordo com um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o ano de 2020 finalizou com uma elevação de 1,2% no volume de vendas no varejo e parte dessa alta se deu porque, entre os meses de abril e setembro, 11,5 milhões de pessoas fizeram a sua primeira compra no meio digital. Nesse mesmo período, aproximadamente 150 mil lojas virtuais “nasceram” – de empreendimentos de pequeno porte a grandes redes que migraram – para esse universo online.

Esses dados evidenciam a importância de, mesmo com a retomada das atividades nas revendas físicas, manter a presença digital. Essa decisão, inclusive, possibilita que o negócio amplie o seu alcance de público, já que ele não mais ficará limitado à área geográfica em que a loja está estabelecida, mas estará, na verdade, visível a um sem-número de potenciais consumidores (apesar da alta concorrência).

Implementação definitiva do regime home office

Em razão das experiências positivas que muitas companhias vivenciaram com a implementação — “forçada” a princípio — do regime home office, já não é uma novidade que uma boa parte das corporações pretende mantê-lo de forma definitiva. Embora, inicialmente, isso possa parecer um ponto negativo para as revendedoras do segmento mobiliário, a verdade é que se trata apenas de uma questão de perspectiva.

É inegável que as empresas que adotarem a modalidade provavelmente não manterão mais grandes espaços com mobiliários corporativos para alocar todo o seu quadro de pessoal — embora seja certo que, como público-consumidor, elas não “sairão de cena” por completo, mesmo porque algumas funções precisam necessariamente ser desempenhadas de forma presencial.

Contudo, há que se ter em mente que, com a nova realidade que se apresenta aos profissionais, que passarão a exercer as suas tarefas de outros ambientes ou de casa, torna-se indispensável dispor de um local adequadamente projetado para tanto, o que demandará a aquisição de móveis de escritório de qualidade, como mesas, cadeiras ergonômicas, suporte para os pés etc. Então, o que se pode esperar, diante disso, é uma espécie de “transição do público”, sem, no entanto, haver uma total substituição de um por outro.

Surgimento de novas formas de pagamento

Não há como falar de novas formas de pagamento sem mencionar o PIX, que tem ganhado espaço ao trazer mais praticidade e acessibilidade a determinados serviços, como a transferência de valores entre pessoas físicas, a quitação de pendências e até o pagamento de compras. Para o segmento varejista, isso pode ser visto como uma excelente oportunidade de crescimento em razão da possibilidade de aquisição e de retenção de público.

Para as vendas online, o PIX traz a vantagem de tornar o processo de pagamento otimizado, o que implica uma diminuição nos prazos de entrega em razão da imediata confirmação da transação. Por outro lado, nas unidades de revenda físicas, o novo recurso representa um meio de pagamento que, dentre outros benefícios, elimina os atritos no caixa. Esses aspectos positivos o tornam, sem dúvidas, uma das grandes tendências em se tratando do que esperar para o futuro.

É inegável que todos os segmentos varejistas — e, com certeza, o setor mobiliário não está à parte — não apenas já foram bastante impactados de diversas formas pela pandemia, mas continuarão percebendo os reflexos do que é chamado, atualmente, de “novo normal” nos próximos anos. Além disso, somado ao fato de que vivemos uma era de transformação digital, em que os avanços tecnológicos surgem em um ritmo extremamente acelerado, o novo cenário que nos aguarda requer que os revendedores estejam abertos e receptivos ao novo, mesmo que as adaptações necessárias tragam novos desafios.

Do contrário, são grandes as chances de, em um futuro próximo, haver a perda de espaço no mercado para concorrentes mais antenados às tendências provenientes de ambos os movimentos. Desse modo, independentemente do porte da sua loja, é essencial manter-se atualizado e, se possível, até mesmo antecipar-se às alterações do setor, o que poderá representar uma vantagem competitiva bastante relevante em meio a um período de tantas — e tão rápidas — remodelações.

Como visto, a pandemia tem sido responsável por inúmeras mudanças no ambiente de trabalho e, provavelmente, outras ainda virão. Por isso, é fundamental não apenas conhecê-las, mas estar a par de todos os reflexos que atingirão o segmento moveleiro, a fim de não ter os seus resultados negativamente impactados, reduzindo suas chances de crescimento.

Este conteúdo foi útil? Que tal, então, seguir as nossas redes sociais para ficar por dentro das próximas publicações? Estamos no Instagram e no Facebook!

Posts relacionados

Deixe um comentário