fbpx

6 dicas indispensáveis para montar uma loja de móveis

loja de móveis

Diante do cenário atual, muitos se perguntam sobre o futuro, e se esse é o momento certo para novos negócios. Montar uma loja de móveis, por exemplo, pode parecer algo arriscado no momento. No entanto, precisamos refletir sobre o tema, pois, se bem aproveitadas, muitas crises podem se tornar oportunidade.

Em uma projeção otimista, estima-se que a economia brasileira encolha 0,6% durante a pandemia. Olhando além desses números brutos, porém, temos que analisar qual a perspectiva de recuperação. Afinal, caso o Brasil reaja bem ao enfrentamento da crise da saúde, ainda existe um bom mercado potencial.

O ideal é aproveitar essa pausa no comércio para fazer o que todo empreendedor deveria pensar antes de abrir seu negócio: planejamento. É no momento de planejar as ações que muitas empresas falham, por iniciarem as operações sem ter um plano bem embasado e completo.

É sobre isso que falaremos hoje! Continue lendo e confira.

O cenário econômico brasileiro para os próximos anos

O primeiro passo para traçar o planejamento ideal, é se preparar para todos os tipos de cenários – do mais otimista ao mais pessimista. Se, com a flexibilização das medidas de proteção conseguirmos reduzir o número de contágio pelo COVID-19, você já saberá quais medidas tomar e quais as reais oportunidades e possíveis ameaças. Além disso, nem sempre uma crise é atrelada à falha dos negócios. Pelo contrário, elas selecionam as empresas cujos gestores tomaram as melhores decisões no momento certo e, principalmente, se planejaram para esse cenário. É sabendo disso que vamos ajudá-lo a ser um empreendedor que cresce nas crises – o que significa inserir no seu planejamento alguns riscos prováveis.

Os números do primeiro trimestre de 2020, por exemplo, mostram que a economia chinesa encolheu 6,8% – o varejo caiu 20,5% e a produção industrial 13,5% – o maior resultado negativo em 50 anos. Isso gerou reação em cadeia de proporções mundiais, afetando também outras economias no mundo e refletindo consequentemente no pequeno empresário brasileiro. Destacamos algumas reações esperadas pelo mercado:

  • o financiamento bancário poderá se tornar mais criterioso e demorado;
  • as taxas de juros do mercado bancário comum também podem se elevar;
  • desaquecimento do mercado consumidor devido às reduções salariais.

Por outro lado, existem oportunidades ocultas:

  • muitas empresas estão fechando durante a crise. Então, novos negócios podem conquistar seu espaço;
  • haverá um movimento natural da população de fortalecer os negócios locais em detrimento dos grandes varejistas, como o mercado externo estará mais fraco, pode haver um crescimento compensatório do mercado interno;
  • geralmente, grandes recessões causadas por fatores externos são sucedidas por um período de grande crescimento econômico.

Em geral, o mercado será outro após a pandemia, portanto, quem perceber melhor as mudanças e fizer as escolhas certas colherá excelentes frutos.

Dicas de planejamento estratégico para montar uma loja de móveis

Como já dissemos e reafirmamos, o grande diferencial das empresas no pós crise será um planejamento bem feito. Durante esse período, você pode aproveitar para analisar os riscos e oportunidades existentes e quais caminhos tomar.

Os planejamentos estratégicos tradicionais possuem 5 partes: missão e objetivos, análise situacional do mercado, financiamento, parcerias e recursos humanos. Vejamos, a seguir, cada uma delas.

1. Defina a missão e os objetivos

A missão se refere ao impacto que o seu negócio irá causar na sociedade e no mercado como um todo. É a expressão que indica o motivo pelo qual você está montando uma loja de móveis.

Já o objetivo é o que você pretende conquistar com seu negócio. Obviamente, todo empresário visa o lucro, mas é preciso destacar aqui valores importantes, como inovação, excelente atendimento e pós venda, oferecimento de produtos diferenciados e que respeitem a natureza, por exemplo. Formule os seus objetivos de forma a se diferenciar dos concorrentes!

No período e no pós pandemia, valores como responsabilidade social, desenvolvimento sustentável e altruísmo serão importantíssimos para os clientes. Então, lembre-se de considerá-los em sua missão.

2. Analise bem o cenário

O primeiro passo para se manter informado, é estudar o cenário: ler diversas fontes, pesquisar os diversos cenários e verificar a relação dos acontecimentos no mercado, durante e pós pandemia. Por mais improváveis que possam parecer, estude e tenha um plano para diversos cenários, até 2020, poucas empresas tinham um plano de contingência para pandemias, certo? Tudo pode acontecer.

Nesse sentido, uma metodologia bastante utilizada na preparação para vários cenários é a análise FOFA ( conhecida como SWOT em inglês). Com ela é possível identificar:

  • forças — condicionantes internas do projeto de negócio que podem melhorar o seu posicionamento, como um modelo operacional e logístico enxuto, bons fornecedores, dinheiro em caixa para o investimento inicial etc.;
  • oportunidades — fatores externos que surgem para fortalecer um negócio. Já citamos anteriormente algumas delas que podem aparecer no pós-pandemia;
  • fraquezas — as fragilidades do seu planejamento e do seu modelo de negócio que podem prejudicar seu posicionamento no futuro, como dependência de financiamentos ou operações ineficientes.
  • ameaças — fatores externos que podem prejudicar a sua futura empresa, como crescimento da inflação, redução do setor, entre outros.

Além da análise FOFA, existem outros tipos de ferramentas que você pode utilizar baseado em cada cenário:

  • análise PESTLE — para avaliar fatores econômicos, políticos, sociais, regulatórios, ambientais e tecnológicos;
  • análise de cinco forças de Porter — para saber o seu poder de barganha com parceiros e clientes;
  • matriz de parcela de crescimento — para fazer a melhor escolha do seu portfólio de produtos;
  • balanced scorecard — para analisar as perspectivas das finanças, dos clientes, das operações e das possibilidades de aprendizagem.

3. Faça análise dos riscos

Com base em cada cenário projetado, é possível montar uma matriz de risco, que envolve:

  • listagem dos eventos ameaçadores;
  • probabilidade de eles ocorrerem;
  • impacto da sua ocorrência;
  • medidas de prevenção de danos;
  • medidas de contingência de dados.

Com isso, ao tirar o negócio do papel, você estará preparado para os mais diversos cenários que se desdobrarem.

4. Considere o financiamento

Esse é um dos nós críticos para a abertura de novos negócios. A recessão diminui a quantidade de dinheiro disponível no mercado, além de aumentar os riscos — consequentemente, os bancos restringem a concessão de crédito ou criam maiores barreiras para emprestar dinheiro. Por esse motivo, o ideal é reunir a maior quantidade de capital possível e recorrer a empréstimos menores e investimentos financeiros mais conservadores, optando por aqueles que rendem acima da inflação.

Além disso, algumas oportunidades podem surgir:

  • o governo pode abrir linhas de financiamento a juros baixos, para estimular a economia;
  • investidores estarão ansiosos para aplicar o dinheiro em bons modelos de negócio;
  • os fornecedores, certamente, irão oferecer melhores condições de vendas dos seus produtos, a fim de fomentar o comércio.

5. Defina fornecedores e parceiros

Nesse ponto do planejamento estratégico estão as melhores oportunidades para os empreendedores do setor moveleiro. Isso porque as fabricantes e distribuidores deverão investir para melhorar o seu posicionamento no mercado depois desse período crítico, com preços mais competitivos, produtos inovadores, boa cadeia logística, condições de pagamento facilitadas, entre outras possibilidades.

Quanto a isso, algumas dicas podem fazer o seu novo negócio começar com o pé direito:

  • pesquise fornecedores que fazem entregas pontuais e tenham uma boa capacidade de estoque;
  • escolha empresas com competência técnica e interessadas em fazer seus revendedores crescer, em vez de apenas fornecer mercadorias;
  • opte por fornecedores que invistam em tecnologia industrial, para garantir sempre os produtos mais inovadores e de alta qualidade.

6. Planeje bem os seus recursos humanos

O período durante e pós pandemia poderá gerar uma forte onda de desemprego. Isso significa que muita mão de obra qualificada pode estar disponível. Então, aproveite o momento e busque talentos para sua loja – pessoas motivadas e proativas que querem crescer junto com sua empresa.

Monte um time liderado por pessoas com experiência de mercado e em vendas, mas observe também aqueles que podem aprender e que estejam precisando de uma oportunidade ideal. Nesses casos você pode capacitá-las para se tornarem colaboradores exemplares, que irão valorizar sua iniciativa e vestirão a camisa da empresa.

Por fim, não tenha receio de investir em recursos humanos: ofereça capacitação, bons salários, plano de carreira e benefícios. Forneça insumos para que gestores e vendedores se sintam satisfeitos e por isso sejam empenhados em fazer sempre o melhor. Além do impacto na produtividade e crescimento do negócio, essa ação pode aquecer as vendas, satisfazer clientes e ser oportunidade para mais negócios.

Bom, com tudo o que vimos até aqui, você percebeu que montar uma loja de móveis nesse momento será mesmo desafiador. Entretanto, os ganhos são promissores para aqueles empreendedores com espírito inovador, que estudaram bastante o mercado e que se prepararam estrategicamente. Lembre-se disso!

E agora, se quiser continuar recebendo as melhores dicas para ter sucesso na sua loja de móveis, curta a página da Frisokar no Facebook e receba nossos posts na sua linha do tempo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *