fbpx

Como vender na crise: veja 3 formas!

como vender na crise

Sem dúvida, o novo coronavírus afetou de maneira significativa toda a economia — em todos os níveis: mundial, nacional e regional. Isso tem obrigado as empresas a buscarem cada vez mais alternativas e inovações em uma velocidade acelerada para se adequar a esse novo cenário.

Para se adaptar, é fundamental conhecer as estratégias que podem (e devem) ser usadas para atender as necessidades dos clientes, além de se manter sempre atualizado. Neste post, vamos lhe ajudar com tudo isso. Continue lendo e confira como vender mesmo na crise!

Estratégias para conseguir vender em cenários de crise

Existem diversas formas de continuar vendendo durante cenários de crise, contudo, a tendência atual aponta especialmente para a digitalização e o investimento em tecnologia, além de continuar a atender às necessidades dos clientes. Vejamos, abaixo, algumas das estratégias mais relevantes nesse sentido.

1. Adote vendas remotas

Como sabemos o novo coronavírus causou impactos diretos no modelo de negócios e também de trabalho das empresas, trazendo consigo a adoção do home office e das vendas a distância, por exemplo. Quando pensamos nisso, de imediato, nos vem à cabeça a ideia de criar uma loja virtual, certo?

Se, por um lado, a economia tem sofrido prejuízos em decorrência da pandemia, o e-commerce nos oferece alternativas para auxiliar os empreendedores neste cenário em que as pessoas não vão até as lojas físicas com tanta frequência — o que demanda meios de alcançá-las dentro de suas casas.

Hoje, existem diversas plataformas eletrônicas disponíveis que possibilitam que você pratique vendas a distância e continue em contato com seus clientes, mesmo nesse período de isolamento social. Vale destacar, inclusive, que essas vendas estão diretamente relacionadas à compreensão da facilidade e comodidade buscadas pelos clientes, o que auxilia a sua fidelização.

Uma tendência cada vez mais forte nesse cenário é apostar nas redes sociais para divulgar não só produtos, mas facilidades de pagamento, descontos, parcerias etc. As principais redes utilizadas para isso são:

  • WhatsApp — em sua versão comercial, o “WhatsApp Business”, é possível realizar campanhas de vendas mediante listas de transmissão, além de usá-lo como canal de atendimento ao cliente. Empresas que utilizam essa ferramenta têm colhido resultados significativos, já que grande parte da população utiliza a ferramenta diariamente;
  • Instagram — você pode utilizá-lo para criar um perfil comercial e aumentar o alcance do seu negócio. Uma boa administração desse perfil envolve publicações frequentes para divulgar produtos e serviços, além de uma Bio atrativa evidenciando o seu tipo de conteúdo;
  • Facebook — é possível criar um perfil próprio para negócios e usá-lo para impulsar vendas com anúncios, além de publicações e conteúdos capazes de fazer aumentar o reconhecimento da marca, assim como os seus produtos e serviços.

Todas essas ferramentas podem ser utilizadas como plataformas de venda, como também podem guiar os clientes em potencial para o seu e-commerce, otimizando todo o processo.

A visibilidade é crucial neste momento, o ideal é investir no desenvolvimento de estratégias para conseguir atrair e captar clientes, assim como na utilização dos e-commerces e redes sociais para realizar divulgação, venda e pagamento dos produtos em um só lugar.

2. Ofereça serviço de delivery

Como a recomendação das autoridades competentes é de nos mantermos distantes, a maior parte das pessoas tem passado mais tempo dentro de casa.

Dessa forma, a aceitação e a procura de serviços de delivery aumentou consideravelmente — o que acabou criando uma ótima oportunidade.

Vários estabelecimentos já estão se adequando a esse modelo, justamente para conseguir manter ou mesmo ampliar suas vendas. Se reinventar para atender aos clientes na pandemia é essencial – até para quem ainda tinha alguma resistência quanto a esse tipo de serviço.

3. Venda com desconto para entrega após o período de pandemia

Realizar vendas e promoções para que os clientes desfrutem após este período de pandemia é outra ideia de como vender na crise que tem sido muito utilizada por setores como o de hotéis, salões de beleza, clínicas estéticas, companhias aéreas, entre outros.

Essa estratégia tem como base dar continuidade ao capital de giro, que é de suma importância para manutenção dos negócios. Alguns exemplos disso são:

  • a compra de passagens com preços diferenciados;
  • remarcação de viagem sem custo adicional;
  • a reserva de hotéis com preços promocionais;
  • a venda de produtos a valores melhores para que não se percam devido à validade.

A importância de pensar em alternativas para a sobrevivência da empresa

Em suma, vem sendo cada vez mais necessário estar precavido quanto a fatores que possam influenciar negativamente quaisquer processos, serviços ou setores da empresa. Então, para aumentar o seu conhecimento e deixá-lo mais preparado, é importante:

Reinventar-se

Reinventar-se está totalmente relacionado a uma postura de reagir as situações negativas criando uma oportunidade, como desafios a serem vencidos.

Para isso, é essencial oferecer serviços e produtos de forma clara, reconhecendo e descobrindo o modelo de negócio que mais se adequa à situação e que a empresa consiga absorver, além de traçar estratégias que sejam vantajosas para o seu mercado.

Infelizmente, ainda existem diversas empresas que não se reinventaram e não se adaptaram à realidade atual, mantendo os mesmos métodos e ferramentas simplesmente por não terem estarem atentos às mudanças e manterem a mente aberta.

Um dos principais exemplos de negócio que cometeu esse tipo de erro é a Kodak. Criada pelo inventor do filme fotográfico, a empresa foi líder em fotografia durante muito tempo. Contudo, por não inovar e não se adaptar à chegada da tecnologia digital, acabou perdendo espaço no mercado, declarando falência posteriormente.

Então, realize um mapeamento de problemas que devem ser compreendidos e ajustados, e tente personalizar os serviços e produtos que podem ser modificados ou oferecidos. Lembre-se: o ideal é atender a conveniência, a agilidade e a flexibilidade tão buscada e valorizada pelo mercado atual.

Reduzir custos

A forma mais segura de reduzir custos é eliminar etapas que não agregam valor ao serviço final. Isso implica, diretamente, investir na melhoria de processos e tecnologias, conhecer os seus custos essenciais e buscar a automatização de atividades e sistemas, sempre que possível.

Além disso, para que essa redução seja eficiente, é preciso analisar constantemente os índices de utilização de recursos e produtividade – tanto internos, quanto dos concorrentes. Medidas como a diminuição dos estoques e a terceirização de serviços também podem ser extremamente vantajosas nesse sentido.

Enfim, é cada vez mais evidente que os profissionais e as empresas que não têm buscado se adaptar estão ficando esquecidos no cenário atual, sem saberem como vender na crise, ainda mais em um mundo globalizado, em que a rotatividade de informações e as novas formas de conhecimentos e o avanço tecnológico são tão altos.

Portanto, agora que você leu essas dicas, coloque-as em prática e colha os benefícios!

E, se gostou da leitura, aproveite para conferir também estas 7 dicas simples de redução de custos para a sua empresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *